Sobre Nexofoto

NEXOFOTO é um concurso fotográfico dirigido a artistas espanhóis, portugueses e latino-americanos que adquiriu, em nível internacional, uma importância e reconhecimento extraordinários desde o seu lançamento no ano de 2013. Neste curto período de tempo se converteu em toda uma referência dentro dos concursos de importância em nível mundial. O objetivo fundamental desta iniciativa é dar visibilidade e promover a obra de novos talentos fotográficos mediante sua inserção dentro dos circuitos do mercado artístico. Um trampolim definitivo para as suas carreiras profissionais e para a difusão de seus projetos.


EDIÇÃO 2016 EDIÇÃO 2015

Contribuintes:

Alimentacion General Galeria

Galerias contribuintes

PONCE + ROBLES | ART DEAL PROJECT | ALIMENTACION GENERAL | HYDRA + FOTO
Galería Ponce + Robles Galería Ponce + Robles Galería Ponce + Robles Hydra + foto

Galería Ponce + Robles [Madrid, España]


Ponce + Robles é um projeto que surge da união de dois renomados galeristas madrilenos: Raquel Ponce e José Robles. Juntos somam mais de três décadas dedicadas a promover a arte espanhola mais atual. Ambos participaram habitualmente em feiras como ArcoMadrid, Zona Maco em México DF, ArtLima ou Volta em Basileia. Sua galeria nasce com o objetivo de incrementar a presença dos artistas espanhóis que representam em fóruns internacionais, assim como de aproximar a criação emergente internacional ao nosso mercado.


Visitar Web

Art Deal Project [Barcelona, España]


Art Deal project é uma galeria de arte contemporânea e agência de projetos de curadoria com sede em Barcelona, que quer aproximar ao público, projetos artísticos de criadores emergentes unidos por seu interesse pelo trabalho artístico além da beleza. Seu interesse se centra na arte que faça pensar e não deixe indiferente. Suas propostas pretendem agitar as consciências e conectar a arte e seu contexto atual.Além de galeria, são os organizadores do Festival de Fotografia Emergente Art Photo Bcn. Também contam com uma seção de loja onde podes ver muitos fundos, objetos de design e edições limitadas de livros. Também realizam atividades como oficinas, apresentações de livros e ciclos de conferências que aproximam a criação mais atual ao público. Atualmente oferecem o serviço de “coaching” para artistas, ajudando os novos criadores a iniciar sua carreira, para dar seus primeiros passos no circuito artístico.


Visitar Web

Alimentación General Galería [Buenos Aires, Argentina]


Alimentación General Galería é um espaço de exibição dedicado à fotografía e às artes audiovisuais na exploração das suas intersecções e fronteiras. Tem como objeBvos a visibilidade da obra de arBstas contemporâneos emergentes e colocá-los em diálogo com arBstas de maior trajetória gerando uma sinergia que potencialize ambos mundos. Nos parece importante trabalhar para o Nexo, para a comunidade fotográfica e contribuir intensamente para a relação arBsta-curador e a convergência de critérios, recursos e conteúdos que potencializem a experiência da exposição.


Visitar Web

Hydra + Fotografía [DF, México]


HYDRA + FOTOGRAFÍA Hydra + Fotografía é uma plataforma para gerar projetos relacionados com o meio fotográfico, baseada na reflexão, diálogo e colaboração entre pessoas, associações, instituições e editoras. É um projeto de Ana Casas Broda, Gabriela González Reyes e Gerardo Montiel Klint, fundado em 2012. Desde 2015 contamos com um espaço de galeria no qual realizamos diferentes exposições que incluem autores com uma longa trajetória e autores emergentes. Entre os expositores tivemos a autores como Roger Ballen (África do Sul), Nelson Garrido (Venezuela), Simon Gerbaud (França) e numerosos autores mexicanos como José Luis Cuevas, Roberto Tondopó, Luis Arturo Aguirre, Baldomero Robles, Diego Moreno, entre muitos outros. Proximamente, em fevereiro de 2017 inauguraremos a primeira mostra no México do reconhecido fotógrafo francês Guy Bourdin. Também contamos com uma livraria especializada en fotolivros de editoras independentes de todo o mundo. A proposta da Hydra + Fotografía é realizar atividades formativas e conectadas entre si, que gerem redes profissionais de aprendizagem, diálogo e intercâmbio entre autores do México e o mundo. Neste sentido, nos interessa apoiar a autores emergentes na reflexão, produção e circulação da sua obra. Uma das atividades da Hydra é fomentar o colecionismo de fotografia no México, oferecendo ao público a possibilidade de adquirir obras a preços acessíveis, tanto de autores emergentes como de autores mais consolidados. Esta ação, além de fomentar a aquisição e circulação da fotografia, nos permite promover, através da nossa plataforma, o trabalho de autores emergentes a novos públicos. Desde 2014, na Hydra, Ana Casas vem se concentrando na edição de fotolivros de outros autores, entre os quais se encontram: Nueva Era de José Luis Cuevas (Cidade do México) com a editora RM, Todo en orden, fotolivro autopublicado de María José Sesma, Casita de Turrón, de Roberto Tondopó e Moisés, de Mariela Sancari, com a editora La Fábrica. Moisés foi selecionado como finalista nos festivais Paris Photo 2015, GuateFoto 2015, Rencontres d´Arles 2015 e considerado o melhor livro do ano por diversos especialistas internacionais como Erick Kessels, Jörg Colberg, Susan Bright, entre outros. Também se apoiou a impressão do fotolivro autopublicado de Ex Corde, de Rodrigo Ramos. Em junho de 2015 Ana Casas participa como membro do jurado dos Prêmios PHotoEspaña ao melhor livro de fotografía do ano e é convidada a ser parte do comitê assessor de publicações da editora La Fábrica, na Espanha.


Visitar Web

A comissaoao

A comissaoao de Nexofoto17 consiste em artistas, expositores e curadores de estatura internacional.


Vik Muniz (1961) é um artista plástico brasileiro, fotógrafo e pintor, é conhecido por usar materiais inusitados em suas obras, como lixo, açúcar e chocolate. Vik Muniz (Vicente José de Oliveira Muniz) (1961) nasceu em São Paulo, no dia 20 de dezembro de 1961. Formou-se em Publicidade na Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP, em São Paulo. Em 1983, mudou-se para Nova York.

A partir de 1988, começou a desenvolver trabalhos que faziam uso da percepção e representação de imagens usando diferentes técnicas, a partir de materiais como o açúcar, chocolate, catchup, gel para cabelo e lixo. Naquele mesmo ano, Vik Muniz criou desenhos de fotos que memorizou através da revista americana Life. Muniz fotografou os desenhos e a partir de então, pintou-as para conferir um ar de realidade original. A série de desenhos foi denominada “The Best of Life”.

Vik Muniz fez trabalhos inusitados, como a cópia da Mona Lisa, de Leonardo da Vinci, usando manteiga de amendoim e geleia, como matéria prima. Com calda de chocolate, pintou o retrato do pai da psicanálise, Sigmund Freud. Muniz também recriou muitos trabalhos do pintor francês Monet.

Em 2005, Vik lançou um livro denominado “Reflex - A Vik Muniz Primer”, contendo uma coleção de fotos de seus trabalhos já expostos. Uma de suas exposições mais comentadas foi denominada “Vik Muniz:Reflex”, realizada no University of South Florida Contemporary Art Museum, também exposta no Seattle Art Museum Contemporary e no Art Museum em Nova York.

O processo de trabalho de Vik Muniz consiste em compor imagens com os materiais, normalmente perecíveis, sobre uma superfície e fotografá-las, resultando no produto final de sua produção. As fotografias de Vik fazem parte de acervos particulares e também de museus de Londres, Los Angeles, São Paulo e Minas Gerais.

Daniel Canogar (Madri, 1964) fez um mestrado em fotografia na Universidade de Nova Iorque e no International Center for Photography em 1990. Como artista visual, trabalha com fotografía, video e instalação.Realizou diversos trabalhos em espaços públicos, entre eles Waves, uma tela escultórica de LEDS instalada permanentemente no átrio do 2 Houston Center em Houston; Travessias, uma escultura de LEDs realizada para o átrio do Conselho daa União Europeia em Bruxelas em razão da presidência espanhola da União Europeia em 2010; Constelações, o maior mosaico fotográfico da Europa criado para duas pontes de pedestres que cruzam o rio Manzanares no Parque MRio em Madri; Helix, uma tela escultórica permanente de LEDS feita para o Quantum of the Seas, cruzeiro da Royal Caribbean e Clandestinos, uma projeção de vídeo sobre monumentos emblemáticos, apresentado sobre os Arcos da Lapa no Rio de Janeiro, na Porta de Alcalá em Madrid e na igreja de São Pedro em Montorio em Roma.

Entre seus últimos projetos, se destacam Storming Times Square, uma intervenção de vídeo em 47 das telas da Times Square, a exposição individual “Small Data” na bitforms, Nova Iorque e na galeria Max Estrella de Madri, “Quadratura” no Espaço Fundação Telefónica de Lima; “Vórtices”, uma exposição sobre a água e a sustentabilidade para a Fundação Canal de Isabel II de Madri; e a instalação Synaptic Passage para a exposição“Brain: The Inside Story”, no Museu Americano de História Natural de Nova Iorque. Além destes, apresentou duas instalações no Sundance Film Festival 2011 em Park City, Utah.

Seus trabalhos foram expostos no Museu de Arte Contemporânea Reina Sofia, Madri; no Palácio de Velázquez, Madri; Galeria Max Estrella, Madri; bitforms Gallery, Nova Iorque; Galeria Filomena Soares, Lisboa; Galerie Guy Bärtschi, Genebra; Mimmo Scognamiglio Artecontemporanea, Milão; Centro de Arte Santa Mônica, Barcelona; Museo Alejandro Otero, Caracas; Wexner Center for the Arts, Ohio; Offenes Kulturhaus Center for Contemporary Art, Linz; Museu Kunstsammlung Nordrhein Westfallen, Dusseldorf; Museu Hamburger Banhof, Berlim; Borusan Contemporary Museum de Estambul; Museu de Historia Natural, Nova Iorque; Museu Andy Warhol, Pittsburgh e Mattress Factory Museum, Pittsburgh.

Publicou "Cidades Efêmeras: Exposições Universais, Espetáculo e Tecnología", Julio Ollero Editor, Madri, 1992; "Ingrávidos", Fundação Telefónica, Madri, 2003; e diversos ensaios sobre a arquitetura da imagem, a fotografia contemporânea e a arte dos novos meios.

TANIA PARDO (Madri, 1976)

É diretora de exposições da La Casa Encendida e profesora associada do Departamento de História da Arte III da Universidade Complutense de Madri. Desenvolve uma pesquisa sobre a história da curadoria na Espanha.

Foi curadora no MUSAC, Museu de Arte Contemporânea de Castilla y León, diretora de programação do espaço Laboratório 987 (2005-2010) e diretora de projetos da Fundação Santander (2009-2010). Também foi curadora convidada em DOMÉSTICO’08 onde levou a cabo o projeto Um mais um, multidão (dezembro de 2008- janeiro de 2009). Foi curadora da exposição Fat Chance to Dream na Galeria Maisterravalbuena dentro do projeto Jugada a tres bandas (abril de 2011). Participou no projeto Imposible Show, dirigido pela RMS La Asociación (janeiro de 2011). Foi a curadora de Bonito Público no Matadero Madrid, dentro da programação do Festival PhotoEspaña 2011 e fez a curadoria de A Noite de Lua Cheia em Segóvia (junho de 2011). Foi curadora da mostra Sem heroísmos, por favor (Iván Argote-Teresa Solar Abboud-Sara Ramo) no CA2M (março de 2012). Co-dirige as Jornadas de Estudo da Arte Contemporânea Espanhola (Fundação Helga de Alvear / La Casa Encendida e Museu Unión FENOSA). Foi a curadora convidada no programa EM CASA (2011-2012) de La Casa Comisaria na ARCO 2013 no programa ARCOmadrid Collect On Line em colaboração com Paddle8. Fez a curadoria da exposição Variação, O Obsessivo Como Forma de Paisagem na Coleção Fundação Arco no Centro de Arte de Alcobendas (fevereiro de 2014). Organiza o Salão de Verão em colaboração com a Faculdade de Belas Artes da UCM (julho de 2014).

Depois de dois anos de trabalho na rede curatorial, apresenta Desafiando a Sorte, uma mostra do coletivo NOPHOTO na Tabacalera, em Madri (Ministério da Cultura, julho de 2014). Foi a curadora da mostra do artista Sergio Belinchón na Galeria Invaliden de Berlim (setembro de 2014) e a diretora do projeto de leitura de porfólios CAFÉ DOSSIER organizado pelo Ministério da Cultura (2013 e 2014). Foi curadora, junto com Sergio Rubira, da mostra Passado, Presente, Futuro do XV Prêmio de Artes Plásticas UCM (fevereiro de 2015). Foi curadora da mostra 1645 Gizes de Maider López no Matadero Madrid (fevereiro de 2016). Escreve em catálogos de exposições, dá cursos e seminários sobre arte contemporânea e é membro de diversos corpos de jurados de prêmios e concursos relacionados com a arte contemporânea.

Também é membro da assessoria do MAS, Museu de Arte Contemporânea de Santander desde o ano 2014. Ultimamente fez a curadoria da exposição O Curso Natural das Coisas na La Casa Encendida e pôs em marcha o programa de mediación Chimenea no mesmo centro.

Há quinze anos se dedica à gestão da arte contemporânea equatoriana dentro e fora do país. Dirigiu vários espaços. Entre 2009 e 2010 dirigiu o Museu Municipal de Guayaquil e recentemente foi escolhida para estar à frente do Centro Cultural Metropolitano (CCM).

Ponce + Robles é um projeto inaugurado no ano de 2013 da união de dois galeristas madrilenos: Raquel Ponce (Madrid, 1971), licenciada em História da Arte pela Universidade Autônoma de Madri e José Robles (Madrid, 1963), licenciado em Direito pela Universidade Complutense de Madri e pós‐graduado em Administração e Direção de Empresas pelo I.E.S.E. Universidade de Navarra. Juntos somam quase quatro décadas dedicadas a promover a arte espanhola mais atual e ambos estiveram habiualmente em feiras como a Arco Madrid, Zona Maco em México DF, Art Lima e Volta na Basileia. Sua galeria nasce com o objetivo de incrementar a presença dos artistas espanhóis que representam em fóruns internacionais, assim como de aproximar a criação emergente internacional ao nosso mercado. A galeria oferece um apoio constante aos artistas para a obtenção de bolsas internacionais, participação em exposições institucionais e bienais, em permanente diálogo com curadores espanhóis e estrangeiros investigando sobre as novas linguagens na arte contemporânea. Junto com Virgínia Torrente e Javier Duero, participaram na criação do projeto de “Jugada a Tres Bandas” em Madri, que ativou um diálogo entre galeristas e curadores. Participaram no Photoespaña desde seu início e no ano de 2015 sua exposição “O que importava estava na linha, não no Extremo” da artista Irene Grau resultou premiada como a melhor exposição do concurso em uma galeria privada. Participaram como jurados nos Circuitos de Comunidad de Madrid, Descobrimentos de PhotoEspaña, Prêmios Cidade de Badajoz, bem como realizaram diversas curadorias em colaboração com instituições como a Prefeitura de Segóvia, o Ivam de Valência, oMuseu Barjola e a Bienal da Eslovênia.
(Granada, Espanha, 1965) Mora no México desde 1974. Em sua obra utiliza a fotografia, textos e outros meios. A partir de 1991 realizou exposições individuais na Espanha. Áustria, Alemanha e México, assim como exposições coletivas em vários países. Recebeu vários apoios e reconhecimentos no México e na Äustria. Trabalhou em seu projeto Álbum de 1988 a 2000 e foi publicado pela editora Mestizo, Espanha, 2000. Álbum foi apresentado como exposição em várias sedes, entre elas o Centro de La Imagen, México, 2001-2002, Casa de América, festival PhotoEspaña 2002, entre outras. Trabalhou no projeto Kinderwunsch desde 2006 até 2013 e foi publicado em 2013 pela La Fábrica. Em maio de 2014 Kinderwunsch recebeu o segundo prêmio ao livro melhor editado de 2013 do Ministério de Educação, Cultura e Esporte na Espanha. Kinderwunsch foi apresentado como exposição individual no Círculo de Bellas Artes, festival PhotoEspaña 2015, Madrid, Espanha. Foi apresentado no Fotohof Salzburgo, Áustria em julho-julho de 2016. Em 2012 funda o projeto Hydra + Fotografía com Gabriela González Reyes y Gerardo Montiel Klint. Atualmente se dedica à realização de exposições, fotolivros e programas educativos na Hydra + Fotografía. Trabalha na edição e assessoramento de fotolivros com diferentes autores. Em 2014, em uma colaboração entre a Hydra e a editora La Fábrica, foram publicados Casita de Turrón, de Roberto Tondopó e Moisés de Mariela Sancari. A autopublicação Todo en orden de María José Sesma e, com RM: Develar y detonar. Fotografía en México ca. 2015, curadoria e edição de Hydra e Nueva Era, de José Luis Cuevas. Em junho de 2015, Ana Casas participa como membro do jurado dos Prêmios PhotoEspanha ao melhor livro de fotografia do ano e é convidada a ser parte do comitê assessor de publicações da editora La Fábrica, na Espanha.

Loli Mosquera é artista visual, diretora e fundadora da Alimentación General Galería (Buenos Aires). Se formou como Designer de Imagem e Som na Universidade de Buenos Aires (UBA), fez uma especialização em Direção de Fotografia e trabalhou na indústria publicitária e cinematográfica durante 15 anos. Paralelamente se formou em oficinas de artistas como Adriana Lestido, Juan Travnik, Julieta Escardó, Guillermo Ueno e na clínica de obra de Diana Aisenberg. Atualmente cursa Licenciatura em Curadoria em Artes na Universidade Nacional das Artes (UNA). No ano de 2012 começou a gestionar a Casa Abasto, espaço cultural que alberga oficinas de artistas, oficinas de formação, apresentações de livros, apresentações audiovisuais e atividades afins e em 2015 abriu as portas da Alimentación General Galería, um espaço de exibição exclusivamente dedicado à fotografia e às artes audiovisuais. Programa a sala junto com Lorena Fernández e trabalha como curadora de algumas exposições. Seu trabalho como artista visual foi apresentado em Festivais internacionais e locais. Expôs sua obra no Palais de Glace na 103º edição do Salão Nacional de Fotografia, na Casa Florida Galería com sua primeira mostra individual e em numerosas mostras coletivas. Em 2015 foi selecionada para a residencia Nido Errante.

Com uma ampla experiência de mais de 25 anos como diretor de arte, atualmente dirige o laboratório Taller Digigráfico em Madri. Especializado em fotografia de autor e edições de arte de altíssima qualidade, foi o primeiro laboratório homologado pela Epson para o uso do seu selo de qualidade Digigraphie, e foi selecionado recentemente para formar parte em uma exclusiva rede internacional de Estúdios Certificados pela Hahnemühle, principal fabricante de papel fine art. Seu trabalho forma parte das principais coleções e museus, e colabora habitualmente com os melhores fotógrafos, artistas e curadores de arte na organização e produção de exposições.

Isabel Lazaro é diretora e fundadora da agência de projetos de curadoria e galeria de arte atual Art Deal project (Barcelona). Atualmente um dos seus principais projetos, além da programação da sua sala, é a ativação do circuito fotográfico em Barcelona mediante a criação e direção do festival Art Photo Bcn que terá sua terceira edição em 2016. Historiadora de Arte Contemporânea e Gestora Cultural por formação, conta com experiência em setores diversos do mundo artístico, tanto no circuito de galerias, do qual participa atualmente, como em pesquisa, museus públicos e privados e gestão de coleções. Atualmente seu interesse foi se centrando na fotografia mais atual, ainda que não deixa de lado outros meios artísticos desde os mais novos aos mais tradicionais, combinados pela intenção de projetos concretos.